eGrupos Logo
Inicio > Mi Página > Mis Grupos > redluzargentina > Mensajes

 Índice de Mensajes 
 Mensajes 5011 al 5040 
AsuntoAutor
SEMINARIO TALLER E ariel Go
Informe Astrológic Amira I.
Carta Circular de Juan Ang
Taller Vivencial " Amira I.
Vivimos en un holo Ricardo
Una orquesta chama Ricardo
Se viene el primer Amira Ma
Primer Congreso Mu Ricardo
El Libre Albedrío Sabidurí
LA FUNDACIÓN STAR Marice J
Taller Vivencial " Amira I.
Taller Didáctico d Amira I.
Liberacion sexual Ricardo
EL FUTURO DE NUEST Graciela
Respiracion Holotr Raquel B
Propagá tu maestrí Marisa B
Novedades sobre 80 Ricardo
Piscis 2009 Daniel
EVOLUCIONARIOS.TV Graciela
El Trabajo bajo Pi Sabidurí
Una guerra perdida Ricardo
Conexion con lo sa Ricardo
THE GAIADON HEART- Ricardo
CUENCOS DE CUARZO angelsol
"Creer es crear" u Marisa B
FELIZ DIA DE LA MU Cristina
Limpieza y Reprogr angelsol
=?utf-8?B?RW5jdWVu infoanan
Rv: Día Mundial S Cristina
Empezar De Nuevo d Fanny Ca
 << 30 ant. | 30 sig. >>
 
RedLuz Argentina

Mostrando mensaje 4958     < Anterior | Siguiente >
Responder a este mensaje
Asunto:[redluzargentina] Segundo e ultimo comunicado da Aldeia da Paz no FSM-amazonico-Coyote Alberto Ruz
Fecha:Miercoles, 18 de Febrero, 2009  19:32:44 (-0600)
Autor:Ricardo Ocampo <lacasadelared @.....com>

From: La Casa de la Red <lacasadelared@gmail.com>
Date: 18-feb-2009 11:00
Subject: [Interredes] Segundo e ultimo comunicado da Aldeia da Paz no
FSM-amazonico-Coyote Alberto Ruz

De: Alberto Ruz <subcoyotealberto@yahoo.com>
Fecha: 16 de febrero de 2009 11:41:42 AM GMT-06:00



Un saludo a tod@s
Otra misión imposible, realizada gracias a tod@s aquell@s que creyeron
en la Caravana..
Hasta siempre, y si creen que vale la pena, re-envienlo a sus amig@s y redes.
El Coyote Alberto Ruz


SEGUNDO e ULTIMO COMUNICADO do FSM-2009

ALDEIA DE PAZ na UFRA: Território livre no FSM-Belem-2009

Por Coyote Alberto Ruz
Arte Fazenda Renascer
Vila de Apeú-Castanhals-PA
Desde um sitio na Amazônia.
Brasil
13/02/09

O dia 23 de Janeiro, todos os 200 moradores da Aldeia da Paz, aqui no
Centro Agroecológico Iara da Universidade Rural Amazônica, vestidos
com nossos melhores cores, nos reunimos em torno do fogo central, um
espaço sagrado preparado com muito cuidado e amor, pelos principais
guardiões dele: Ninguém Marcos e Verônica, com o apoio incondicional
do grupo de guerreir@s que assumiram esse compromisso.

Saímos da cozinha comunal em precessão, levando as brasas do fogo
familiar, mantido desde princípios de Janeiro pelos irmãozinhos Variña
e José de Chile, para ascender o novo fogo social-espiritual das
tribos, entre cantos e passos de danças ancestrais que retomamos hoje,
para criar nossa nova cultura, com vozes, melodias, coros e ritmos
provenientes de todos os cantos da Pachamama.

Com oferendas de chocolate, tabaco, rom, açúcar, farinha de milho,
copal, flores, nosso irmão Mark, neo-xama das tribos celtico-maias de
Inglaterra, invocou cada um dos 20 dias, forças, energias, naguales do
calendário quiche de Guatemala, acompanhado dos caracoles, tambores,
maracás, rezados e das pregarias de tod@s os presentes.

Os flashes das câmaras, tanto nossas como da imprensa, nacional e
internacional, cobria nossa historia, já que o fogo da Aldeia da Paz,
ascendido no dia 23, marcou o inicio espiritual do Fórum Social
Mundial, como já foi feito nos fóruns dos anos anteriores. Algumas
dessas fotos compareceram na capa dos jornais e revistas de Belem, em
destaque, como antecedentes do que adviria poços dias depois, o dia
27, com a apertura oficial do FSM.

A partir do dia 23, começaram a chegar mais e mais peregrinos a nossa
Aldeia. Os bairros surgiram ao longo das trilhas, equipes de trabalho
de voluntários não paravam de martelar, cravar, cortar, limpar,
capinar, construir, ao longo do dia inteiro, parando só para as rodas
das três refeições que asseguramos cada dia, graças às contribuições
diárias do pessoal ao "chapéu mágico" e algumas doações
institucionais, alem da sopa que o Ceasa nos oferecia cada noite na
janta. Cada roda, novos cantos e novas danças, avisos, demanda de
voluntários nos grupos de trabalho para participar nas tarefas
prioritárias, e informação das necessárias lesões diárias de educação
ambiental e comunitária, para aqueles que por primeira vez compareciam
numa experiência como esta.

Os chuveiros foram construídos, mais a água tardou vários dias em
chegar, conseguimos ter energia elétrica, no ônibus Mazorca da
Caravana, que voltou o Centro de Comunicações para toda Aldeia até que
uma equipe conseguiu recuperar um espaço abandonado do Centro
agroecológico Iara, destinado a piscicultura, e construir aí nossa
produtora cooperativa de audiovisuais, videoclipes, estudo de gravação
e centro de comunicações graças ao grande apoio que os irmãos
argentinos Celeste e Damian, de Redfugios, deram a nosso gênio Pedro
Jatobá e dias depois, chegou a turma de Olinda que instalou a "Radio
Inter-Galáctica Livre" na Aldeia, (FM 88.1) que funcionou as 24 horas
do dia ate o 1º de fevereiro com musica, entrevistas, anúncios,
informações relevantes a nossos diferentes trabalhos e ao que
acontecia no Fórum e no mundo nesses dias históricos.

Para alguns de nos, o FSM foi somente à escusa para a uma
vez mais tentar a experiência da construção, sustentação e
funcionamento de uma Aldeia Temporal da Paz, e oferecer esta vivencia
aos que chegassem, a visitassem e a deram a conhecer a traves dos
meios de comunicação e informação. Para outros, foi um espaço seguro
para curtir, tanto do que acontecia dia a dia na Aldeia, como das
muitas outras programações simultâneas no resto da UFRA, da UFPA e
dos outros fóruns e palcos onde mais de 2.500 atividades foram
realizadas nesses poucos dias.

E para outros, os "churunimas," uma base perfeita desde onde operar
para vender seus artesanatos, ter um refeitório gratuito para comer
três vezes ao dia sem contribuir no chapéu mágico, sem trabalhar, sem
responsabiliza-se pelo funcionamento da Aldeia. Dormindo no dia nas
redes, fumando maconha, tocando um tambor, esperando as rodas de
informações acontecer, sem participar, para correr a fila e pegar duas
vezes alimentos, e sair às noites para vender, beber cerveja e
continuar fumando. E mesmo, alguns deles, para se queixar da
quantidade de alimentos recebida, da variedade do cardápio, dos erros
e da falta de "organização," d@s "lideres" e da estrutura "rígida" que
não permitia beber álcool o consumo de drogas, alimentos animais, nem
introduzir produtos transgénicos no acampamento. Os chupa-sangues de
sempre.

Em quanto ao Coyote, somente sai da Aldeia quatro vezes nos vinte dias
que permaneçamos no seu território de apenas três hectares que nos foi
emprestado pelo grupo IARA formado pelos agro-ecologistas da UFRA. A
primeira foi o dia 27 Janeiro, junto com arredor de trezentas
cinqüenta pessoas, para participar na passeata de apertura do FSM
pelas ruas de Belem, junto aos representantes dos movimentos sociais,
etnias, jovens e indivíduos do mundo inteiro. As chifras oficiais e da
imprensa dessa inédita marcha-político-carnavalesca, foi de cem mil
participantes, todos fomos banhados pelas torrenciais chuvas
amazônicas, uma verdadeira cachoeira caindo do céu para batizar-nos
todos e todas, e finalmente fomos alegrados com um lindo arcoiris
iluminando a cidade no momento que as águas pararam no meio da grande
e colorida caminhada.

Nossa tribo de guerreiros e guerreiras da paz, entoando juntos:
"Forças da Paz, cresçam sempre mais e mais, que reine a paz e acabem
as fronteiras, nos somos um..." e "Amor, amor, amor, a mensagem e o
amor, ama teu próximo como a te mesmo, ele é amor..." foi
significativamente à tribo com maior diversidade étnica, já que na
Aldeia tínhamos pessoas de trinta nacionalidades e diversas nações sem
estado, especialmente dos povos hispânicos: bascos, catalãs, canários,
malaguenhos, etc.

A alegria, a beleza de nosso povo, o colorido de nossas bandeiras, a
variedade de nossas vestimentas e de nossas peles foi também o foco
das câmaras de vídeo, da imprensa nacional e internacional, e dos
milhares de participantes que ficaram atraídos pela energia
desorbitante, pelas mensagens, e pela diferença de muitas das outras
turmas que focaram seus mensagens mais na protesta, as reivindicações,
as denuncias, quando os aldeianos falávamos só de paz e amor, como
nos "anos sessentas".

Um dos jornais de Belem lembrou uma canção de Caetano Veloso dos anos
80 que dizia: "apaches, punks, existencialistas, hippies, hippies de
todos os tempos, uni-vos" um chamado que 20 anos depois foi atendido
nessa tarde inesquecível, nessa marcha e cerimônia de unificação que
durou até a noite, na praça da Republica, sitio onde nos, os moradores
da Aldeia fizemos uma roda sentados na rua, e concluímos nossa
caminhada com um ritual ecumênico com a presença e as palavras e
cantos de dirigentes espirituais de vários continentes.

Com cem mil pessoas procurando voltar a seus alojamentos, delas mais
de 15.000 jovens ao Acampamento da Juventude no campus da UFRA, foi
para nossa tribo praticamente impossível pegar ônibus nessa hora,
então decidimos, depois de ter caminhado das três da tarde as nove da
noite, de voltar a nossa Aldeia a pé, atravessando um dos bairros que
os moradores de Belem consideram o "mais perigoso da cidade." Alguns
destes companheiros locais nos aconselharam de não tentá-lo, mais nos,
responsáveis da articulação e segurança da Aldeia, achamos que era uma
ótima idéia, e com nossas bandeiras coloridas ao frente retomamos a
estrada e tivemos uma maravilhosa experiência e linda acolhida da
parte dos moradores do bairro que nos enviavam beijos e nos davam as
boas noites e a bem-vinda a sua cidade.

A segunda vez que sai da UFRA, foi na tarde do dia 29, data ficada
para o encontro dos cinco presidentes participantes no Fórum: Lula do
Brasil, Hugo Chávez da Venezuela, Rafael Correa do Equador, Evo
Morales da Bolívia e Fernando Lugo do Paraguai. A hora marcada para as
apresentações seria as sete da noite, mais desde a uma da tarde,
diante as portas de ingresso do gigantesco hangar onde aconteceria o
histórico encontro tinha uma fila de centeias, milhares de pessoas
aguardando.

Verônica e eu chegamos ao sitio perto das seis, e depois de uma espera
de menos de meia hora, conseguimos entrar com nossas identificações de
equipe de APOIO do Acampamento da Juventude, uma carta que foi
entregue exclusivamente, depois de vários dias de árduas negociações
com a turma do Comitê Organizador, aos voluntários que participamos na
construção da Aldeia da Paz.

De essa maneira logramos testemunhar pessoalmente os discursos desses
cinco presidentes, que nessa noite histórica afirmaram que suas
eleições e cargos eram o resultado, tanto da mobilização dos
movimentos sociais de seus paises como da mobilização da sociedade
civil planetária organizada, presente nesse momento no Fórum Social
Mundial de Belem do Pará, como também nos Fóruns dos anos anteriores.

A presença de um sindicalista brasileiro, um ex-sacerdote paraguaio
membro do movimento da Teologia da Libertação, um índio cocalero dos
Andes, um militar socialista venezuelano, discípulo de Fidel Castro
Ruz, procurando construir uma América bolívariana, e de um carismático
economista equatoriano puxando o novo "socialismo mágico do século
XXI," todos eles presidentes eleitos democraticamente nos seus paises,
a maior parte nesta primeira década, são sem duvida indicadores de um
giro importante na historia Latino-americana.


Fico atrás a década das ditaduras e das juntas militares dos anos 60s
até os 80´s, os governos neoliberais, transnacionais e globalistas dos
90´s, e estamos agora na primeira década do século e do Milênio, o
tempo dos governos populares, liberais e neo-socialistas, desde Centro
América até a Patagônia, e agora, com a eleição de Obama Baraka e sua
pose e primeiros passos na Casa Branca de Washington, que tive lugar
no dia 20 Janeiro, no momento que estávamos construindo a Aldeia da
Paz, pela primeira vez com um chefe de estado afrodescendente na
capital do Império.

Algo significativo esta acontecendo no mundo, e mesmo si as mudanças
não são tão radicais como muitos de nos sonhamos, não podemos perder a
perspectiva e ficar cegos ante essa mudança fundamental, que nos
permite agora, nesta década, nos reunirem em paz, milhares de
ativistas, altermundistas, globalofóbicos, provenientes de mais de 150
paises, nos, os construtores de "um outro mundo possível," não só com
o apoio dos governos locais e federais, mais com a presença dos
máximos dirigentes de varias nações sudamericanas irmãs.

Sim, sem duvida que um novo tecido se esta tecendo nas Américas, e a
prova de que esse tecido tem cada dia mis força é que precisamente, no
outro lado do mundo, estava acontecendo nesses mesmos dias, do 28 ao
dia 1º, o Fórum Econômico Mundial de Davos, e assim como em Belem todo
era festa, alegria, juventude, otimismo, unificação, celebração da
união dos movimentos sociais do planeta inteiro, em Davos, Suíça, todo
era fala de crise, de valores, de ética, de mercados, num clima de
grande pessimismo e de mostras evidentes e explicitas do Sistema
Global da incapacidade de sair do colapso provocado por esse mesmo
sistema econômico hegemônico que impera no planeta. Só agora, tarde de
mais, se escutaram e expressaram os gritos e lamentos dos dirigentes e
banqueiros dos paises ricos, por não ter escutado as múltiplas
advertências, e ter mantido e sustenido a todo custo, os dogmas do
capitalismo selvagem.

Com a crença de que seria possível tentar de continuar crescendo de
"forma insustentável" pensando que "todo ficaria sempre igual..", nas
palavras do economista Klaus Schwab, considerado um dos padres do
neoliberalismo, pioneiro da globalização e o criador do Fórum
Econômico de Davos. Sua chamada neste encontro foi que "sendo todos
responsáveis pela crise, agora à comunidade financeira internacional
teria que se responsabiliza também para encontrar uma solução para
sair dela..."

Em Suíça se reuniram os ministros de finanças e presidentes dos bancos
centrais de mais de 40 paises, procurando soluções para "salvar o
capitalismo" com "novas regras onde não só sejam favorecidos os mais
prósperos.." E, significativamente, somente dois presidentes
latino-americanos estiveram ai presentes: Felipe Calderón do México, e
Álvaro Uribe da Colômbia, os últimos representantes dos partidos
conservadores, neoliberais no continente, associados estreitamente às
políticas econômicas e militares do, agora ex-presidente George Bush.

Em Belem nos reunimos mais de 135.000 pessoas de 142 paises: índios,
quilombolos, gays, punks, neo-hippies, ativistas, militantes, lideres
de opinião, artistas, membros da imprensa alternativa, representantes
de milhares de organizações do planeta, com uma programação oficial de
2.500 atividades prepositivas e 2.300 mais autogestionadas, para
tentar de juntar nossas vocês, nossas propostas, nossos projetos de
vida, e no caso de nos, os moradores da Aldeia da Paz, para criar um
espaço onde muitas dessas propostas pudessem ser vivenciadas.

Onde não tivéssemos que falar tanto mais conseguíssemos manifestar que
esse "outro mundo", não só e possível, não só é necessário como falou
Hugo Chavez no seu discurso, mais onde esse mundo não fosse mais um
mundo ideal, senão um mundo real, com todos os desafios que isso
implica.

Pequeno, rústico, humilde, construído em um 90 % com matérias
recicladas o pegados no lixo, com escasso apoio institucional,
construído por nos mesmos em grupos de trabalho voluntário, oferecendo
os serviços da Aldeia, não só para seus moradores, mais também para
todos os milhares de visitantes que passaram nesses dias pela Aldeia.

Nos dia pico do Fórum, de acordo a nosso censo de cada manha, éramos
perto de 800 pessoas, acampando na lama, em 500 barracas, organizados
em bairros, com nossa própria equipe de segurança e recepção, com os
grupos de limpeza e manutenção das trilhas e dos banheiros secos, da
composta e da reciclagem, os terapeutas e sanadores ao cargo da saúde
integral de nosso povo, nossa própria programação artístico-cultural,
produtora independente, radio comunitária, nossas oficinas praticas de
permacultura, saúde, espiritualidade feminina, fogueira central e
espiritualidade ecumênica, desenho de ecovilas, as abelhinhas mães e
tias, cuidando de nosso espaço de crianças e a preparação de nossas
três refeições vegetarianas gratuitas cada dia.

A terceira ocasião que sai da Aldeia, foi numa luxuosa ambulância do
corpo dos bombeiros, para fazer uma serie de tomas de raios X de meus
pulmões e uma mostra de minha sangue numa unidade móbile de saúde,
dentro da mesma UFRA, porque com 15 dias morando na lama, pegando
chuva dia e noite, ficando acordado das 6:30 am ate as 2:00 da
madrugada, correndo de um sitio ao outro, acabei empiorando uma
sinusite crônica que arrasto asse três anos, e que dadas às condições
em que me encontrava, me obrigou a parar um dia em cama, e a pegar
antibióticos pela seguinte semana.

Sim, uma noite sai também um par de horas com meu velho compadre
Tullio Marques, de BH, para dar uma olhada nos outros acampamentos da
juventude dentro da UFRA. Atravessamos uma confusão danada de milhares
de pessoas, de centeias de postos de venda de comida, cerveja,
cachaça, artesanatos amazônicos e de todas as Américas, camisetas,
pôsteres, cartazes com fotos e frases de todos os heróis
revolucionários do continente, bandeiras, CD´s, DVD´s, maconha,
refrigerantes, caminhando entre montanhas de lixo, barulho de dúzias
de equipamentos de som, no meio de numa nove de fumaça alucinante.

Saindo de lá, seguindo uma massa de pessoas que se encaminhava na
mesma direção, acabamos ficando parados diante um gigantesco palco,
onde uma banda de rock pesado se estava apresentando, acompanhados por
um fundo psicodélico de luzes e um milhão de decibéis, ante uma turma
que bebia e fumava em grupos, em tanto que alguns deles dançavam, a
maior parte sozinhos. O ritmo hipnótico e a tecnologia de ponta
conseguiam que todos ficáramos atrapalhados como moscas ante seu
espetáculo. Ai consegui apenas ficar 15 minutos, e voltei de novo para
a Aldeia. Já tinha suficiente como experiência, para saber o que era o
resto do Acampamento da Juventude.

Foi por isso que não fiquei estranhado quando Eduardo, da segurança
nacional, responsável da seguridade de todo o Acampamento
Intercontinental da Juventude, chefe dos 250 bombeiros , os membros
da segurança da mesma UFRA, o pessoal das imprensas locais como Josué
Costa do O Liberal, e outros da imprensa nacional e internacional,
durante e ao final do Fórum falaram para nos: "A Aldeia da Paz foi à
menina de nossos olhos...Foi o acampamento mais limpo, organizado, com
a maior e melhor energia de todo o encontro...Ficamos muito
agradecidos pelo trabalho, e com muita saudade de todos vocês...Voltem
sempre...."

Nas capas dos dois principais jornais de Belem, "Diário do Para" e "O
Liberal", os dias 20, 24, 25, 27 janeiro e o 01 fevereiro,
compareceram em destaque as fotografias a cores das crianças da
Caravana, de nosso acampamento e de nossos ônibus, e fotos da fogueira
central no dia da apertura cerimonial da Aldeia, alem de varias
matérias e entrevistas feitas a vários membros da Aldeia e da
Caravana.

Um vídeo-clip de 2¨ editado na nossa Cooperativa de Comunicações da
Aldeia, foi solicitado e incluído num documentário da TV Brasil sobre
o FSM, que rolou a nível nacional, e enumerais entrevistas e gravações
foram feitas sobre a vida em nossa eco-comunidade tribal alternativa,
no meio da mata amazônica e do FSM, para dúzias de jornalistas,
documentaristas, profissionais, amadores, visitantes, do Brasil e de
outros paises do mundo.

A intenção de que a Aldeia fosse uma janela aberta para mostrar o que
somos, o que estamos já construindo, no só no marco do FSM mais em
nossas varias biorregiões, foi amplamente comprido. Ao nível interno
com os participantes, muitos dos quais participavam numa experiência
similar pela primeira vez em suas vidas, para os visitantes de Belem e
do mundo , para os representantes dos diversos movimentos sociais que
passaram pela Aldeia, para os meios de comunicação, organizadores e
membros da UFRA , e finalmente para o mesmo Comitê Internacional do
FSM, que reconheceu oficialmente a Aldeia da Paz como um dos
movimentos sociais que faraó parte do comitê organizador dos próximos
Fórums.

E mais importante a nossos mesmos olhos, nos que fizemos parte deste
sonho desde muitos anos atrás, quando iniciamos a levantar Aldeias da
Paz, primeiro em México, e depois com a Caravana Arcoiris, em Centro
América, e em vários paises do sul do continente. Como não lembrar
agora da primeira Aldeia de Paz Sudamericana, em Santa Elena,
Medellín, Colômbia, no meio de um pais em guerra civil desde os anos
1950´s.

E mais tarde uma outra Aldeia numa comunidade indígena Pemón, na
Grande Savana venezuelana, e outra na região de Titiribi, também na
Colômbia, a poços kms de um acampamento dos paramilitares mais
perigosos do pais.

E a Aldeia da Paz para mulheres lideres em Equador, onde nasceu um
belíssimo romance que continua ate agora entre o Coyote Alberto e uma
aguerrida mulher descendente dos povos cañares, hoje convertida em
sacerdotisa das Deusas, espiritualizando a política no Programa
Cultura Viva do Ministério da Cultura brasileiro, e politizando a
espiritualidade nas suas palestras e rodas , nos Círculos de Mulheres
no Tipi da Lua e do Sol, onde quer que a Caravana se estabelece por
um tempo: Verônica Sacta.

Depois foi o tempo da Grande Aldeia da Paz no Valle Sagrado do
Urubamba, ao pe dos Andes, na entrada do caminho do coração dos incas
a Machu Picchu, o histórico "Llamado del Condor," nosso mais ambicioso
sonho, materializado nesse ano do 2003 em Peru. Seguido de das
montagens de Aldeias, um deles também muito ousado, no coração de uma
das maiores capitais do Sul, Santiago de Chile, no mágico Apu
Wechuraba o Cerro Blanco com nosso irmão Patara e as tribos do
Arcoiris desse pais, e outro no jardim botânico de Viña del Mar, uma
Aldeia focada para sanadores, curandeiros, xamas, mais com todos os
outros elementos próprios de um assentamento o mais ecologicamente
sustentável possível.

De Chile, nosso peregrinagem sagrado nos levou até a tam esperada e
prometida Terra do Fogo, na Patagônia, deixando rodas e sementes de
paz por varias cidades argentinas como Mendoza, El Bolsón, Córdoba e
Ushuaia, passando por Uruguai, para dirigi-nos as terras mágicas da
Chapada dos Veadeiros, o sitio escolhido pelos nossos parceiros da
Caravana Omganeshbus, para levantar e montar a Aldeia de Paz do
"Chamado do Beija Flor" em 2005. Outro grande desafio, que abriu as
portas para que neste ano, conseguíssemos unificar as tribos das
anteriores Aldeias da Paz dos Fóruns Sociais Mundiais de Porto Alegre
e Caracas com a tribo internacional da Caravana Arcoiris.

No ano passado, graças a nossa longa estância em Recife, e ao contato
com os Pontos de Cultura da região, não só levantamos uma Aldeia da
Paz em Olinda, mais também contribuímos a fortalecer um novel processo
de ecovila o Centro Ecopedagógico, Bicho do Mato. Este espaço
alternativo, único no Nordeste, agora continuara sendo um projeto de
Aldeia da Paz permanente, e ficamos honrados de saber que suas
primeiras sementes foram plantadas pela Caravana, em agradecimento e
como contrapartida pela acolhida que seus fundadores, Thomas Enlazador
e Khalyne, junto com o avo Maria das Graças e os novos guerreiros Inti
Kaire e Amam Terra nos ofereceram. A visão de unificar nossas forças
para construir a Aldeia da Paz no FSM neste ano, surgiu precisamente
numa conversa na base do Bicho do Mato, quando Thomas, Edu e eu,
Coyote, compartilhamos nossas idéias e avaliamos as possibilidades de
realizar este sonho. Parecia impossível, dadas as circunstancias nesse
momento. Hoje, é uma pagina mais de nossa surreal e mágica historia.

A quarta vez que sai da Aldeia foi no 6 fevereiro, depois dos quatro
dias que tomo para nos da Caravana levantar o acampamento, em verdade,
a grande infra-estrutura com a qual nos contribuímos para seu
funcionamento. Somente a lona de circo tomou dos dias para ser
desmontada, já que as chuvas não permitiam que ela se secasse para
poder ser dobrada e guardada no camião de produção.A estação de lavado
de pratos e panelas, os muitos baralhes onde tentamos secar as roupas,
e nunca conseguimos pelas chuvas constantes. Também tomou um grande
tempo organizar nossas ferramentas, que nos primeiros dias da Aldeia
eram as únicas existentes, e procurar as rádios de comunicação que
foram indispensáveis para a segurança do acampamento e pela recepção
de visitantes, inscrição de moradores, recebimento da imprensa e
articulação com os órgãos de saúde, segurança e organização do
Acampamento da Juventude e da UFRA.

Depois foi o turno da limpeza das nossas barracas e dos espaços
comuns, banheiro seco, chuveiros, pias de água, trilhas, fogueira
central, tipi do templo das deusas, refeitório, já que praticamente
nos últimos três dias não ficou mais ninguém no espaço do centro
agroecológico Iara, alem de uma pequena bagunceira, alcoolizada turma
de pessoas provenientes dos outros acampamentos, que se negavam a sair
da UFRA e ocuparam alguns dos espaços da Aldeia ate serem obrigados a
abandonar o campus pelo serviço de segurança da Universidade.

Antes de sair, fizemos uma ultima repassada em todo o acampamento,
para pegar as lonas pretas de plástico, roupa abandonada, pratos e
outros objetos que foram distribuídos entre varias pessoas do bairro
que solicitaram elas para suas famílias, e o resto do material
utilizável, alimentos, panelas, ferramentas, etc, foi enviado para o
grupo semente que inicio a montagem do acampamento da Rainbow Family
brasileira, no município de Colares, a duas horas de Belem.

A Caravana, uma vez que nossos scouts voltaram a nossa base com
reportes de vários possíveis sítios para nos deslocar depois do Fórum,
se preparou para sair para o município de Castanhal, a um paraíso
amazônico perto do bairro de Apeú, onde a sua proprietária, Izer
Campos, mostrou interes em alojarmos por um tempo, em troca ao apoio a
seu centro "Arte Fazenda" e algumas atividades para a comunidade
vizinha, especialmente agora, em vésperas do Carnaval Paraense.

O dia 6 de fevereiro, véspera do aniversario do meu filho Odín,
abandonamos a UFRA e Belem, com 27 pessoas de 10 paises diferentes, a
maior parte ex-caravaneiros e amigos queridos que nos acompanharam
neste capitulo importantíssimo de nossa lenda viva, e que estão aqui
agora com nos, desfrutando um merecidissimo descanso num dos mais
maravilhoso sítios onde a Caravana tem se assentado temporalmente em
todos estes anos. Aqui estamos agora, carregando as nossas pilas, nos
recuperando das ultimas semanas de grande stress, trabalho e
dificuldades para sair de Recife, a dura semana de viagem para
percorrer os 2.100 kms entre Recife e Belem, e as três semanas de
enorme trabalho, emoções, encontros, atividades, programações,
construção, sustentação e desmantelamento na lama e baixo a chuva, da
nossa Aldeia e no Fórum, sem praticamente nenhum só dia de sol o de
descanso.

O dia 7, já instalados nesta mágica e inesperada base, com um lago, um
rio e uma cachoeira dentro da propriedade de 70 hectares, pegando
banhos de sol e de água doce e mineral, no meio desta linda mata
amazônica, todos baixo teto, incluso alguns de nos em quartos com
camas e banheiros próprios, espaços de dança, de meditação, de
oficinas e grande cozinha de lenha, recebei a mensagem de México que
no mesmo dia de seu aniversario, Odín e Saidi tinham recebido na nossa
casa de Huehuecóyotl, a mais nova e recente dos membros da grande
tribo dos Ruz, uma menina, minha segunda neta, e a novidade que todo
tinha acontecido da melhor maneira e todos estavam felizes de sua
chegada.

Desta maneira, vou concluir este segundo e ultimo comunicado sobre o
FSM e da nossa participação nele, enviando a tod@s aqueles
que, respondendo a nosso Chamado da Floresta Amazônica, nos apoiaram,
materialmente com doações para concertar nossos veículos e para o
combustível que precisamos pelo viajem, um agradecimento enorme por
acreditar em nos, e nos apoiar a realizar este sonho, a demonstrar que
é tempo de acordar, e não deixar para amanha a construção de "OUTRO
MUNDO POSSIVEL."

A aqueles que nos enviaram suas benzas, boas vibrações, energia,
positividade, ahos!, palavras o pensamentos de apoio e encorajem,
igualmente agradecidos pela força invisível, a proteção que sempre
precisamos para realizarem qualquer objetivo. Sem isso, nosso
peregrinarem teria sido muito mais difícil e os desafios maiores.

E para aqueles que nem responderam ao Chamado, não nos apoiaram nem
material, nem espiritualmente, alguns mesmo criticando nossa decisão
de participar no Fórum, profetizando desgraças, dificuldades
in-surmontaveis, agradecidos também, já que os desafios que são
sobre-passados pela força da ação positiva, acabam fortalecendo a
vontade, a intenção, sempre quando os objetivos são superiores e não
provierem do ego e da procura da importância o ganho pessoal.

Uma outra missão que alguns meses atrás parecia impossível, agora já
faz parte da historia, nossa historia, a historia da Caravana, a
historia dos movimentos sociais e espirituais, a historia
contemporânea da humanidade. Agradecemos ao Grande Mistério a
oportunidade de poder contribuir a deixar algo melhor para os que vem
depois de nos. Eu, particularmente, para meus filhos, filhas, netos e
netas, para todos os que viajaram a Belem provenientes dos quatro
cantos do mundo para nos acompanhar e estar presentes neste capitulo
importante de nossas vidas!

E para os que nos perguntam todo o tempo do próximo capitulo da
Caravana, somente podemos sinceramente respondê-los: O QUE O GRANDE
MISTERIO NOS INDIQUE AGORA!!, já que nos, todavia não sabemos.

E finalmente meãs amigas e irmãos, para todos @s interessad@s no
futuro do Fórum, na ultima reunião do Comitê Internacional do FSM, foi
decidido que a seguinte edição do encontro terá lugar no ano 2011, e
foram pré-selecionados dois possíveis lugares para assegurar sua sede:
Um pais africano, a ser todavia definido, e os Estados Unidos, si as
políticas exteriores de Obama Baraka favorecem um clima favorável para
um evento de essa magnitude. E sobre todo, si a "guerra contra o
terrorismo" inventada por Bush chega a termino, e uma nova legislação
abre as portas para os milhares de altermundistas poder entrar no pais
sem todos os atuais problemas que quase impossibilitam obtiver um
visto para a maioria dos jovens politizados do mundo.

Enviamos muita luz, força, visão, persistência, alegria, a tod@s
vocês, onde quer que se encontrem. Sempre para sempre, El Coyote
Alberto Ruz.



AHO!, ARIGATO ! JAYAYA! AHA!
O´MTA KUOYASIM !!!

DEDICADO:
Aos Caravaneiros de coração, velhos e recentes, que estiveram e estão
aqui, nas boas e nas piores:

Alberto Ruz Buenfil- Coyote
Bruno Marcelino
Karol Mora Sacta
Lidiane da Sà e Nathan
Luzia Roberto, Dieguinho e Abayomi
Nelson da Costa Pedro
Rafa Gentileza Barretos
Sofia Mora Sacta
Verônica Sacta Campòs

A nossos generosos apoiadores econômicos:

Becca Massey and Morgaine Avalon de US
Congreso biorregional KAW-US
Domitila de Recife
Giancarlo de Italia
Heidi Junkersfeld de US
Jean Hudon de Canadá
Joyce and Gen Marshal de US
Leonor Fuguet de Venezuela
Liora Adler de Gaia University
Marisa de Lille de México
Mark Elmy de Inglaterra
Mike Carr de Canadá
Odin Ruz de Huehuecoyotl
Pellé e o Ponto de Cultura Trilhas do Teatro- Teresinha
Rosali de Aracajú
Solon Durán de Venezuela
Stefano Mari de Italia
Suga-San de Japón
Thadeus Haas, de US
Theo Gandolfi de Suiza



Agradecimentos especiais a nossas queridas parceiras e parceiros da:

Fundação Terra Mirim: Alba Maria e Khalina

E do Centro Ecopedagógico Bicho do Mato: Thomas Enlazador, Kalinne,
Maria das Graças, Inti e Amam.

A nossos caros amig@s e ex-caravaner@s que chegaram a Belem a
construir e compartilhar suas experiências na Aldeia com nos:

Alberto "Ardilla" do Rainbow Internacional
Alexander Chavez de Venezuela
Anita Balado de Argentina
Ayana Dardaine de Trinidad Tobago
Celeste e Damian de Redfugios-Latinoamérica
Chelah do Beija Flor
Estrella Herrera Rossiter de la Caravana
Fátima Soares de Recife
Gema y Maria de Hispania
Genevieve Gallerand de Quebec
Gwen Peterdi de USA
Heather Finnstra de Canadá
Heidi Junkersfeld de USA
Heriberto Frias de Puerto Rico
Irene Smith de Aracajú
Jessica Rossiter de Aracajú
Ka Ribas de Belo Horizonte
Kalinne, Inti e Amam de Bicho do Mato
Leonor Fuguet de Venezuela
Leão e Peter, pioneiros do ENCA
Luiz Vieira "EL Colorado" de São Paulo
Maria Pereira de Rio de Janeiro
Mariana Motta de Belo Horizonte
Mark Elmy de Inglaterra
Martha de Bahia
Mikel do País Vasco
Ninguém Marcos de Pelotas
Pablo Bedmar de todas partes
Paola Londoño y Jaime, de Colombia
Pedro Jatobá de ITeia
Roderick de Venezuela
Solon Duran de Maracaibo, Venezuela
Sol, de Viver de Luz
Thadeus Haas de USA
Thomas Enlazador de Bicho do Mato
Tiago Jatobá e Cris de Recife
Tullio Marques de Belo Horizonte
Variña e José de Chile
Vinicius Morais de Belo Horizonte
Yoya de Venezuela
Zoeli e Emanuel de Puerto Rico

E a tod@s os guerreir@s e amazonas e demais voluntários que
contribuíram substancialmente a construção e sustentação da nossa
Aldeia:

Alexandre, Plebeus, Paula, Karina, Drica e Bruno, Derek, Rowina,
Mowgli, Nara, Luciano, Luis Felipe, Natalia, Felipe, Mayana,
Yasminsol, Andrei, Serguinho, Kariri, Sandrinha, Pablo y la Família da
Luz colombiana, Gigi, Lugie, Mauro e @s pizzaoiol@s, Semente do
Rainbow, Xaba, Roberto, Lautaro, Maia, Letícia, Rafael, Zecca e o
pessoal do Iara, Nilton, Zhema e o pessoal do Pontao de Cultura
Argonautas Ambientalistas de Amazônia, Nelsinho, Medusa e Felipe,
Suzie, Laura, Adriana, Sylvain e Julie, Claudia Luz, Juliana,
Wanderley, o pessoal do Ponto de Cultura Pão e Lata e dos
Permacultores Nômades e do Instituto Anima, e tant@s outr@s que não
consigo lembrar os nomes, mais ficam em nosso coração para sempre.

Paginas com imagens da Aldeia da Paz

www.iteia.org.br/aldeiadapaz
www.caravanaarcoiris.blogspot.com
http://www.aldeiadapaz.net/nsite/modules/news/article.php?storyid=21
http://www.wsftv.net/test
www.ybytucatu.com.br



Subcoyote Alberto Ruz Buenfil
subcoyotealberto@yahoo.com
http://caravanaarcoiris.blogspot.com/
www.lacaravana.org
Tel: (55) 91-8893-2988


------------------
FORO INTERREDES
Las redes sociales emergentes por un mundo mejor,
su naturaleza, su función, su perfil y su futuro.
Para desconectarse:
interredes-unsubscribe@yahoogroups.com
Somos miembros de la
RED IBEROAMERICANA DE LUZ
www.elistas.net/lista/redluz
www.elistas.net/lista/redanahuak
www.elistas.net/foro/gap
Todos los recursos:
www.casadelared.com
---------------
E N C U E N T R O S D E L U Z 2 0 0 9
redesdeluz.blogspot.com
-ENCUENTRO DE VISIONES
RED GLOBAL DE CONSCIENCIA
Hidalgo, Mexico-febrero- zain@prodigy.net.mx
aztlan.org.mx
-REGIONAL RED ARGENTINA
Salta, Argentina-marzo- juanaaliberti@gmail.com
noashamballa.jimdo.com
-REGIONAL RED ARGENTINA
Comodoro Rivadavia-marzo- rbratovich@yahoo.com.ar
yahoogroups.com/group/patagonia_luz
-REGIONAL RED ARGENTINA
Santa Fé-marzo- espacioazul33@yahoo.com.ar
caminosalser.com/espacioazul
-REGIONAL RED ARGENTINA
Capilla del Monte-marzo- anamaria@aguilaazul.com.ar
aguilaazul.com.ar
-REGIONAL RED ARGENTINA
Buenos Aires, Argentina-abril- regional.buenosaires@yahoo.com.ar
diproredinter.com.ar
-VII ENCUENTRO CLARIDAD
Monterrey, Mexico-mayo- jfbtrevi@prodigy.net.mx
googlegroups.com/group/encuentro-mexico-2009
-REGIONAL RED ARGENTINA
San Rafael-mayo- alicia.contursi@gmail.com
redluzargentina.com.ar
-FORO ESPIRITUAL ESTELLA
Estella, España-junio- koldo@portaldorado.com
foroespiritual.org
-I CONGRESO MUNDIAL DE LA NOOSFERA
RED DE ARTE PLANETARIO
Bali, Indonesia-julio
www.lawoftime.org
-XII NACIONAL RED IBERICA
Cáceres, España-julio
redibericadeluz.org
-VI NACIONAL RED MEXICANA
Cuernavaca, Mexico-agosto- ricardoredluz@gmail.com
casadelared.com
-X ENCUENTRO IBEROAMERICANO DE LUZ
Isla Margarita, Venezuela-octubre- arlenedejesus2121@gmail.com
googlegroups.com/group/redluzvenezuela
-II NACIONAL RED ARGENTINA
Mar del Plata, Argentina-noviembre- irenemiceli@gmail.com
redluzargentina.com.ar
egrupos.net/grupo/redluzargentina
------------------


--
RED GLOBAL DE CONSCIENCIA
elistas.net/lista/redanahuak
elistas.net/lista/redluz
TODOS LOS RECURSOS
casadelared.com
RED MEXICANA
elistas.net/foro/meshiko
yahoogroups.com/group/redmexicanadeluz
googlegroups.com/group/mexicoenconciencia
BLOGS
redesdeluz.blogspot.com
diadelatierra.blogspot.com
lacasadelared.blogspot.com
aurora-m-ocampo.blogspot.com
fundacionpuntoverde.blogspot.com
RECOMENDAMOS
mind-surf.net/drogas
espiritualidadypolitica.blogspot.com
eloraculodelasdiosas.blogspot.com
googlegroups.com/group/sertierra
googlegroups.com/group/culturalternativa
manantialcaduceo.com.ar
insigniasaztecas.org
aztlan.org.mx
Pando: La verdad detras del espejo:
youtube.com/watch?v=yB-IzJV1qKM
Salta 2009 Argentina Marzo Luz:
youtube.com/watch?v=ey6IlSI2UGw
SOMOS HERMANOS DE LA
RED IBEROAMERICANA DE LUZ:
Audiovisual y fotos San Rafael 2008
Primer Encuentro Argentino de Luz
www.redluzargentina.com.ar
------------





Ve, guarda y comparte lo que te interesa en la red
Crear o visitar páginas a las que puedes añadir aquellas cosas interesantes que te encuentras porla web. ¿A qué esperas?
es.corank.com

Inicio | Apúntate | Bazar | Grupos | Gente | Quienes somos | Privacidad de Datos | Contacta

eGrupos is a service of AR Networks
Copyright © 1999-2004 AR Networks, All Rights Reserved
Terms of Service